Temas Fechar

Verão: Cuidados que deve ter com os seus animais de estimação

07 de Agosto de 2020
Créditos de imagem: Adobe Stock

Não são só os seres humanos que sofrem com o calor durante o verão. Os animais de estimação também precisam de cuidados. Conheça quais neste artigo.

Sabia que a estação mais quente do ano pode esconder perigos para o seu melhor amigo – o seu animal de estimação?

 

O Rufas e o Jota são dois cães diferentes, um é mais brincalhão e o outro é mais mimalho. Mas existe algo que os une, o amor da família e da casa que os acolhe. Os donos andam preocupados porque o Verão chegou e é preciso ter outros cuidados com os seus melhores amigos. Se está nesta situação e também deseja cuidar dos seus amigos de quatro patas, este artigo é para si.

 

Tal como com os humanos, há cuidados que devemos de ter com os animais nos dias de calor.  Isto porque a alta temperatura associada a uma ampla variação na humidade do ar, pode intensificar uma série de problemas. Batimento cardíaco acelerado, respiração ofegante, saliva excessiva – são alguns dos sintomas a que deve estar atento.

 

É importante lembrar que os animais de estimação, sobretudo cães e gatos, têm uma forma de arrefecer diferente dos seres humanos.

 

Então, como protegê-los das armadilhas do verão?

 

Primeiramente, devemos entender melhor o que pode ocorrer no ambiente e no corpo dos animais com o calor.

 

Se um humano tem dificuldade em lidar com os dias quentes, um cão ou um gato tem ainda mais, pois ao contrário dos humanos não têm o mecanismo da transpiração para se arrefecer.

 

Como só transpiram pelas almofadas das patas, os cães e os gatos usam o trato respiratório (o arfar ou respirar mais rápido) para tentarem refrescar-se ou procuram locais mais frescos, o que os pode levar a entrar em stress e desidratação com alguma rapidez.

 

Assim sendo, conheça alguns dos principais cuidados que deve ter em atenção quando chegam as temperaturas mais altas para cuidar melhor e com mais atenção do seu melhor amigo de quatro patas.

Tenha sempre água à disposição do animal

Créditos de imagem: Adobe Stock

Assim como os humanos, o seu animal também precisa de ingerir muita água durante o dia. Veterinários recomendam que a quantidade ideal de água que o pet deve beber por dia fica entre 80-100 ml por quilo de peso.

 

Faça as contas e procure ter sempre a taça de água cheia ou então recorra aos dispensadores de água, que garantem que o seu animal de estimação tenha acesso a água limpa e fresca, quando o necessite. Certifique-se que a água está sempre a uma temperatura razoável para consumo, colocada num recipiente num local fresco e com sombra.

 

O consumo de água é muito importante para a regulação da temperatura corporal de um patudo, permitindo que o organismo execute todas as suas funções e processos adequadamente. Ajuda ainda ao movimento do corpo e às articulações. 

 

Se o seu cão não beber água, o que deve fazer?

 

Este é um problema raro mas pode acontecer, especialmente em cães. Neste caso aconselhamos:

 

  • ter um recipiente de água especificamente para o seu cão, com o cuidado de estar sempre limpo e descalcificado;
  • optar por uma alimentação leve e húmida, que forneça líquidos; 
  • diferentes tipos de bebedouros podem incentivar ao consumo de água (exemplo: fontes com água corrente).

 

Caso o problema persista, leve-o ao veterinário o mais rapidamente possível.

 

Leia também: Hidratação: sabe qual a importância de se manter hidratado?

Os parasitas não são bem-vindos

Nas altas temperaturas, acontece de parasitas externos como pulgas e carrapatos, encontrarem condições perfeitas para se reproduzirem. Lembre-se que estes parasitas podem ser responsáveis por doenças mais graves como anemias e verminoses. Os sintomas e as complicações que eles podem causar diferem de acordo com o tipo de parasita e o local onde ele está alojado.

 

Por este motivo, é importante aplicar produtos preventivos contra pulgas e carrapatos, tendo em atenção o prazo de validade das aplicações, que geralmente gira em torno de três semanas. São medidas simples que garantem um maior controlo das infestações.

 

Observar se o ambiente da sua casa não está contaminado com tais parasitas também é fundamental, inclusive para recorrer, se necessário, à desinfestação.  

Tenha cuidado com as patinhas dos seus amigos

Créditos de imagem: Adobe Stock

Já andou descalço no asfalto ou até mesmo na areia da praia, naqueles dias quentes de verão? Viu o que aconteceu? Pois é, com os seus animais pode acontecer a mesma coisa.

 

As “almofadinhas” das patas dos seus pets além de fofas, são também bastante delicadas e assim como a nossa pele, elas também queimam.

 

A frequência para levar o cão à rua varia de acordo com a necessidade e idade do animal. Porém, tente evitar as horas mais quentes do dia, optando assim por exemplo, pelos passeios matinais ou então ao final do dia.

 

Os ferimentos das almofadas são comuns e difíceis de tratar. A cicatrização é lenta devido à constante pressão colocada na pata quando o cão anda ou simplesmente fica em pé. Seja por isso prudente e tenha cuidado com esta zona.

Aposte na alimentação húmida

Este tipo de alimentação promove uma digestão mais fácil e uma melhor hidratação, porque fornece mais água mantendo assim também o equilíbrio nutricional de que os seus amigos de quatro patas necessitam. Mas atenção: o alimento húmido só deve estar à disposição cerca de 20-30 min, pois pode estragar-se, especialmente em altas temperaturas.

Não deixe o seu animal em espaços fechados

Créditos de imagem: Adobe Stock

Os animais, em especial os cães, não têm glândulas sudoríparas na mesma quantidade que os humanos e o único mecanismo que o seu corpo pode acionar para vencer o calor é a respiração ofegante. Isto por sua vez pode dificultar a respiração do animal e pode levá-lo a morrer abafado.

 

Evite deixar o seu cão sozinho em espaços fechados com excesso de calor, como são exemplo carros ou varandas fechadas. Mesmo que seja um local à sombra, com as temperaturas exteriores elevadas o espaço pode chegar a temperaturas excessivas em meia dúzia de minutos.

 

Os animais têm uma temperatura corporal mais elevada que nós, o que fará com que a temperatura deles aumente rapidamente.

Está na hora do banho reguila!

O banho é extremamente importante para saúde e higiene dos pets e é um hábito necessário na rotina do seu bichinho, especialmente no Verão.

 

Atividades ao ar livre expõem os seus animais à água do mar, piscina, areia, jardins, etc. Desta forma, é importante ter atenção especial para minimizar os efeitos do acúmulo de areia, sal do mar, cloro da piscina, terra, etc.

 

Assim, dê banhos com regularidade porque é uma das formas mais práticas e simples de refrescar o seu animal, sendo uma ótima solução para os dias de calor.

 

Atenção: Animais de pêlo claro exigem atenção redobrada, o que inclui o uso de protetor solar. Sim, leu bem! Existem produtos específicos para animais. É uma medida que ajuda a prevenir queimaduras e cancro de pele nos animais.

 

Também procure evitar colocar roupas nos pets em dias de calor, por mais fresca que seja.

 

Ao preparar-se para a temporada mais quente do ano, não se esqueça de incluir as medidas de proteção também para os seus pets. Converse com seu veterinário e planeje-se para que você e o seu melhor amigo possam curtir o calor do verão.

Não são só os seres humanos que sofrem com o calor durante o verão. Os animais de estimação também precisam de cuidados. Conheça quais neste artigo.

07 de Agosto de 2020
Autor:

Adriana Gonçalves

Content Manager & Social Media Zome
Partilhar:
Publicações recentes
Newsletter
Subscreva a nossa newsletter!
Copyright Zome Portugal® 2019. Todos os direitos reservados.
Política de Privacidade Termos e condições Resolução Alternativa de Litígios