Temas Fechar

Mapa de Responsabilidades do Banco de Portugal: o que é e como pode consultar online

03 de Setembro de 2020
Créditos de imagem: Adobe Stock

Saiba em que consiste o Mapa de Responsabilidades de Crédito e como pode consultar esta informação online através do Banco de Portugal (BdP).

Sabia que para conceder crédito as instituições financeiras avaliam, de entre outras coisas, o histórico de cumprimento dos seus clientes, recorrendo para tal ao Mapa de Responsabilidades de Crédito?

 

Este Mapa é o documento que reúne e contém informação individual sobre os créditos comunicados ao Banco de Portugal pelas entidades participantes na Central de Responsabilidades de Crédito (CRC), essencialmente constituída por instituições financeiras que concedem crédito.

 

O que é a Central de Responsabilidades de Crédito (CRC)?

A CRC consiste num sistema de informação gerido pelo Banco de Portugal, no qual consta o historial de empréstimos passados de um determinado consumidor e de créditos que estão em curso no presente e que podem vir a converter-se em dívidas. Esta informação é atualizada com regularidade, através de comunicações periódicas por parte das entidades participantes.

 

O principal objetivo da CRC é apoiar as entidades participantes na avaliação do risco da concessão de crédito, permitindo-lhes consultar informação agregada sobre o endividamento de quem lhes solicita crédito. 

 

Segundo informação fornecida pelo Banco de Portugal constituem exemplos de responsabilidades efetivas:  

 

  • Empréstimos para aquisição de habitação; 
  • Empréstimos para aquisição de automóveis, de mobiliário e de outros bens de consumo ou serviços; 
  • Empréstimos para aquisição de títulos (ações, obrigações, etc.); 
  • Desconto de letras e outros efeitos comerciais; 
  • Descobertos em contas bancárias; 
  • Operações de locação financeira (leasing) e de factoring; 
  • Montantes utilizados de cartões de crédito. 

 

E ainda, constituem exemplos de responsabilidades potenciais às situações a seguir indicadas, quando representem compromissos irrevogáveis das entidades participantes: 

 

  • Montantes não utilizados de cartões de crédito; 
  • Linhas de crédito contratadas; 
  • Garantias prestadas pelas entidades participantes; 
  • Fianças e avales; 
  • Quaisquer outras facilidades de crédito suscetíveis de serem convertidas em dívidas efetivas. 
  • A CRC contém também informação sobre declarações de insolvência de pessoas singulares e coletivas, emitidas pelos Tribunais.

 

Veja como pode consultar esta informação online através do Banco de Portugal (BdP).

Quem pode aceder à informação da CRC?

A informação sobre o mapa da CRC pode ser prestada ao titular dos dados (pessoas singulares ou coletivas), tendo em conta as normas de sigilo bancário vigentes em Portugal.

Como consultar o Mapa da Central de Responsabilidades através da Internet?

 

Para obter então este documento, é simples:

 

  • Aceda ao site do Banco de Portugal;
  • Na barra superior, à esquerda, opte por "Particulares";
  • Escolha "Central de Responsabilidades de Crédito";
  • Leia atentamente as condições de acesso à Central de Responsabilidades de Crédito (CRC) e, se concordar, aceite as condições;
  • Após aceitar as condições, clique em “obter mapa”. Se desejar obter informação histórica sobre as suas responsabilidades de crédito, selecione a opção correspondente e indique o mês e o ano pretendido.
  • Autentique-se com o seu cartão de cidadão ou com os seus dados do Portal das Finanças;
  • Abra (open) ou guarde (save) o ficheiro em formato PDF com o mapa de responsabilidades de crédito;
  • Para o visualizar, basta clicar para abrir o ficheiro;
  • No final feche a sessão segura e, para sua segurança, apague o ficheiro PDF com o mapa de responsabilidades de crédito guardado na pasta de ficheiros temporários da internet.

 

Como ler o Mapa de Responsabilidade de Crédito

Fonte: Banco de Portugal

Este mapa apresenta informação individual sobre todos os contratos de crédito de que o titular é devedor ou avalista/fiador.

 

1 –  Identificação do titular do mapa: Nesta zona do cabeçalho do mapa são identificados o nome e o número de identificação fiscal (NIF/NIPC) do titular do mapa de responsabilidades de crédito em causa;

 

2 – Responsabilidades de crédito relativas a [data]: Indica a data a que se refere a informação constante do mapa de responsabilidades de crédito;

 

3 – Tipo de responsabilidade: Indica se o titular do mapa é devedor ou avalista/fiador do contrato de crédito em causa.

 

4 – Produto financeiro: É o produto financeiro a que corresponde o contrato de crédito. Pode ser, por exemplo, um crédito ao consumo ou um crédito à habitação. Eis os produtos mais frequentes nos mapas:

 

  • Ultrapassagem de crédito - Instrumento que permite ao cliente dispor de fundos que excedem o saldo da sua conta de depósito à ordem ou o limite máximo de uma facilidade de descoberto acordada. É um saque autorizado tacitamente pela instituição, ou seja, sem necessidade de contrato próprio para o efeito;
  • Facilidade de descoberto - Facilidade de utilização de crédito, associada a uma conta de depósito à ordem, em que, para além do saldo dessa conta, se permite a sua movimentação até um limite máximo de crédito previamente estabelecido;
  • Cartão de crédito – com período de free-float - Cartão de crédito que, não obstante a modalidade de reembolso, inclui um período de crédito sem juros (free-float) entre a data de utilização do crédito e a data-limite de pagamento;
  • Cartão de crédito - sem período de free-float - Cartão de crédito em que é permitida a cobrança de juros entre a data de utilização do crédito e a data-limite de pagamento;
  • Cartão de crédito - cartão de débito diferido - Cartão de crédito em que o saldo em dívida é sempre integralmente pago pelo cliente numa data acordada com a instituição de crédito, não havendo lugar à cobrança de juros;
  • Crédito renovável - Crédito no qual o devedor pode utilizar ou mobilizar fundos até um limite de crédito pré-autorizado sem necessidade de avisar o credor. Os montantes pagos pelo devedor ficam disponíveis para nova utilização. Não abrange os cartões de crédito nem as facilidades a descoberto;
  • Crédito não renovável - Crédito em que o devedor pode utilizar ou mobilizar fundos até um limite de crédito pré-autorizado sem necessidade de avisar o credor. Os montantes pagos pelo devedor não ficam disponíveis para nova utilização;
  • Locação financeira - É um contrato no âmbito do qual o locador, enquanto proprietário legal de um ativo, transfere para o locatário os riscos e os benefícios da propriedade do ativo;
  • Crédito à habitação - Contrato de crédito para aquisição, construção ou realização de obras em habitação própria permanente, secundária ou para arrendamento, bem como para aquisição de terrenos para construção de habitação própria;
  • Crédito conexo - Contratos de crédito cuja garantia hipotecária incida, total ou parcialmente, sobre um imóvel que simultaneamente garanta um contrato de crédito à habitação celebrado com a mesma instituição;
  • Crédito pessoal - Crédito concedido a uma pessoa singular, com plano temporal de reembolso, montante e duração do empréstimo definidos no início do contrato. Não inclui o crédito automóvel;
  • Crédito automóvel (excluindo locações financeiras) - Crédito destinado à aquisição de automóvel ou de outros veículos, com plano temporal de reembolso, montante e duração do empréstimo definidos no início do contrato.

 

 

5 – Tipo de negociação:  A negociação pode ser:

 

  • Totalmente nova - O contrato em causa é uma operação nova. Não resulta de uma renegociação nem de uma renovação de um contrato anterior;
  • Renegociação regular – O contrato em causa resulta da renegociação de um contrato anterior;
  • Renegociação por incumprimento – O contrato em causa resulta da renegociação de um contrato anterior, motivada por falta de pagamento do crédito;
  • Renovação automática – O contrato em causa resulta de uma renovação automática de um contrato anterior.

 

6 – Em litígio judicial: Crédito relativamente ao qual se encontra pendente uma ação judicial. Esta indicação surge, por exemplo, quando a instituição que concedeu o crédito em causa recorre aos tribunais para recuperar o valor em dívida ou quando o devedor contesta judicialmente o crédito;

 

7 – Início e Fim: Data em que se iniciou o contrato de crédito e a data em que se prevê que o crédito esteja totalmente amortizado. São, por outras palavras, as datas em que foi constituída e em que termina a responsabilidade de crédito. A data 9999-12-31 significa que a data de fim do contrato não se encontra definida (ou seja, o contrato tem uma maturidade indeterminada).

 

8 – Número de devedores no contrato:  É, como o nome indica, o número de devedores no contrato de crédito em causa. Se o titular do mapa for devedor e o contrato tiver dois devedores, por exemplo, isto significa que as responsabilidades de crédito são partilhadas com outra pessoa/empresa (o outro devedor do crédito).

 

9 – Montante total em dívida: É o montante que o devedor ainda terá de reembolsar no contrato em causa. Este montante inclui:

 

  • capital (vincendo – isto é, o capital que ainda não foi posto a pagamento nas prestações – e vencido, caso exista – isto é, capital que já deveria ter sido pago mas que ainda não o foi);
  • e, existindo, juros vencidos e outros valores vencidos (isto é, juros e valores que já deveriam ter sido pagos mas que ainda não o foram).

 

Não inclui juros vincendos – isto é, os juros que ainda não foram colocados a pagamento;

 

10 – Montante e entrada em incumprimento: O montante em incumprimento é o montante total de pagamentos em atraso no contrato em causa. A data de entrada em incumprimento é a data do primeiro pagamento em atraso.

 

  • crédito vencido é o crédito para o qual existem pagamentos em atraso;
  • crédito abatido ao ativo é o crédito em incumprimento relativamente ao qual as expetativas de recuperação dos valores em dívida por parte da instituição são muito reduzidas.  No entanto, o devedor continua a ter responsabilidade de regularizar esse crédito.

 

 

11 – Montante potencial: Não é um valor efetivamente em dívida, mas poderá vir a sê-lo, no futuro, caso seja utilizado. É o caso do montante aprovado mas não utilizado dos cartões de crédito ou dos valores em dívida de créditos dos quais o titular do mapa é fiador.

 

12 – Prestação e Periodicidade: A prestação é o encargo que o titular suporta, periodicamente, com o crédito. A periodicidade indica de quanto em quanto tempo é paga a prestação (em muitos produtos financeiros, as prestações são pagas mensalmente).

 

13 – Garantias: Quando a instituição concede o crédito, pode exigir ao cliente que preste garantias para assegurar que o dinheiro emprestado é reembolsado. É o que acontece, por exemplo, quando, no crédito à habitação, é feita uma hipoteca sobre o imóvel. No mapa de responsabilidades de crédito, o campo “Garantias” apresenta o tipo, o valor total e o número de garantias associadas ao contrato de crédito em causa.

 

O tipo de garantias é dado por um código numérico de quatro algarismos. Poderá saber o que significa consultando a legenda das garantias, disponível na última página do mapa. Eis as garantias mais frequentes nos mapas:

 

  • Fiança/Aval: Garantia prestada por uma entidade (o fiador) relativamente ao cumprimento da obrigação que recai sobre o devedor. Caso o devedor não pague a quantia em dívida, o fiador responde pelo pagamento da dívida com todo o seu património, já que se trata uma garantia pessoal; 
  • Imóveis destinados à habitação – Concluídos: Bens imóveis concluídos, disponíveis para fins habitacionais, que tenham sido adquiridos, construídos ou renovados para um agregado familiar e não sejam qualificados como bens imóveis para fins comerciais;
  • Outras cauções de natureza real: Outras cauções de natureza real (por exemplo, equipamento comercial, máquinas e veículos), não incluídos nas categorias anteriores;
  • Garantias financeiras exceto derivados de crédito: Garantias financeiras exceto derivados de crédito são contratos que exigem que o emissor efetue pagamentos especificados para reembolsar o detentor de uma perda em que incorre, na sequência de um devedor especificado não efetuar o pagamento quando devido de acordo com os termos originais ou modificados do contrato de crédito. Por exemplo, são consideradas neste tipo as garantias bancárias.

Intermediário de Crédito autorizado pelo Banco de Portugal

Na Zome temos intermediários de crédito autorizados, espalhados pelo Norte, Centro e Sul de Portugal, nos diferentes HUBS imobiliários

 

Conclua a compra da sua casa acompanhado em todo o processo com a equipa de especialistas Zome. Agilizamos todo o processo e recolhemos as melhores propostas junto dos bancos, para que a sua experiência imobiliária seja mais simples e mais feliz. 

Saiba em que consiste o Mapa de Responsabilidades de Crédito e como pode consultar esta informação online através do Banco de Portugal (BdP).

03 de Setembro de 2020
Autor:

Banco de Portugal

https://www.bportugal.pt/
Partilhar:
Publicações recentes
Newsletter
Subscreva a nossa newsletter!
Copyright Zome Portugal® 2019. Todos os direitos reservados.
Política de Privacidade Termos e condições Resolução Alternativa de Litígios