Temas Fechar

De Arquiteto a Consultor imobiliário - por Cláudio Silva

22 de Junho de 2021

"Se pensas negativo, a negatividade expande-se, chega-te aos órgãos e devora-te por dentro. Se pensas positivo, a tua vida torna-se mais leve, e tudo o que te rodeia tem mais sabor. Se ainda não saboreaste, saboreia."

Terminado o curso de Arquitetura, posteriormente o estágio profissional de admissão à Ordem dos Arquitetos, em 2005 decidi lançar-me enquanto arquiteto autónomo. A solução foi transformar um dos quartos do meu T2 num escritório.

 

Em 2007, novamente bolseiro, já o tinha sido em 2002 aquando dos meus estudos na Suíça, concluí um Master’s avançado em Arquitetura em Madrid.

 

Fazendo as contas até aqui, vivi fora cerca de ano e meio.

 

Em 2008, com o nascimento da minha primeira filha, a Matilde, não me restou alternativa que não “sair de casa”. Arrendei um mini escritório com 10m2 ao lado do Mercado do Bolhão no Porto. Dois anos depois fui pai da Maria.

 

Apesar da enorme dedicação aos diversos projetos de Arquitetura que tive o privilégio de criar, apesar de receberem o aval da crítica do nicho dos Arquitetos, as despesas do escritório eram superiores às receitas.

 

Todos nós precisamos de colocar pão na mesa, por isso procurei soluções, mas a única que encontrei foi emigrar.

 

Entre setembro de 2012 e janeiro de 2015, colaborei com dois escritórios de referência internacional. Nesse período vivi em Londres, na Áustria e em Berlim. Fazendo novamente as contas, vivi fora 4 anos e passei a colecionar bilhetes de avião, ao todo tenho mais de duas centenas e meia.

 

Entre 2015 e 2017, novamente em Portugal, coordenei um pequeno escritório de Arquitetura no Porto e exportava projetos para um Arquiteto na Arábia Saudita.

 

Tudo corria bem, mas em junho de 2017, uma notícia inesperada ocorreu: “Vamos deslocar a produção da Arquitetura para o Egito”.

 

Tinha 6 meses para encontrar uma solução, e não poderia passar por ir lá para fora outra vez. Não queria ficar longe de quem mais amava, novamente…

 

BASTA! - Foi então que aos 40 anos me enchi de coragem, peguei no telemóvel e fiz uma chamada.

O momento da mudança

Créditos de imagem: unsplash

"Gostava de saber informações sobre ser Consultor Imobiliário, posso falar com o responsável da empresa?" - era de manhã, e corria o dia 28 de julho de 2017.

 

Perto das 15h estava na Imobiliária para conversar. Na verdade, não acreditei nas “belas” palavras que o dono da Imobiliária me passou, pareciam-me palavras de vendedor. Recordo-me muito bem de me dizer que acabara de transferir vinte e tal mil euros em comissões a uma Consultora.

 

"No âmbito da Arquitetura nunca me transferiram esse valor!" - pensei eu.

 

Apesar do ceticismo natural de quem trazia uma ferida aberta, o tempo estava a contar e não tinha alternativa, tinha que me agarrar a qualquer coisa. Três dias depois, dia 31 de julho de 2017, assisti à minha primeira formação imobiliária. A apreensão comia-me os ossos até ao tutano. Não fazia a mínima ideia que a minha vida ia mudar…

 

A formação durou poucas semanas e os conteúdos abordados mostraram-me um novo mundo.

 

Acompanhado por todo o Staff da Imobiliária, nomeadamente pela minha Business Coach, mês e meio depois, consegui o meu primeiro imóvel para promover.

 

Recordo-me que esse feito foi muito ambicionado e festejado “cá dentro”.

 

Aos quatro meses, consegui o meu primeiro negócio, ao quinto o segundo. Eram negócios com comissões mínimas, mas eram negócios. Continuei focado e sem desistir.

 

Janeiro focado…

 

Fevereiro focado…

 

Março focado…

 

Abril focado...

 

Fruto de todas as sementes lançadas à terra, corria o maio de 2018, dez meses depois do primeiro passo e finalmente comecei a ver sinais robustos da minha dedicação. Surpreendido, desabafei para mim mesmo: "Afinal isto resulta, e não é que gosto do que faço!"

 

Três anos depois (escrevo estas palavras em abril de 2021), a equipa Cláudio Silva Consultores Imobiliários ZOME, entretanto constituída, foi responsável por 100 transações imobiliárias.

O meu diário digital

Créditos de imagem: unsplash

Até há poucos dias, o termo pandemia consistia apenas numa palavra presente no dicionário. Enganado redondamente, o Covid-19 aparecera de rompante e fechara-nos em casa.

 

Se pensas negativo, a negatividade expande-se, chega-te aos órgãos e devora-te por dentro. Se pensas positivo, a tua vida torna-se mais leve, e tudo o que te rodeia tem mais sabor. Se ainda não saboreaste, saboreia.

 

Nas maiores contrariedades, surgem oportunidades fantásticas que nos fazem crescer, descobrir coisas belas, únicas e maravilhosas.

 

Saindo de novo da minha zona de conforto, não sabendo se iria resultar, muito menos por quanto tempo, no dia 20 de março de 2020, tomei uma decisão - Vou escrever um diário profissional digital.

 

Sempre com verdade, de cariz imobiliário, escrevo este diário por vários motivos:

 

Os meus sonhos

Créditos de imagem: unsplash

Algures na minha vida, surgiu-me esta oportunidade para a mudar, e sabem de uma coisa? Agora não a vou largar.

 

Estou muito orgulhoso do que me aconteceu, mas estou também muito grato por ter tido a sorte de encontrar uma marca extraordinária que é a ZOME Real Estate. A ZOME é uma marca vibrante e com uma visão empresarial brilhante, cujos ensinamentos me ajudam a crescer. É também, e sobretudo, uma marca feita de pessoas, as quais, sem a mínima dúvida, as quero perto de mim.

Com todo este entusiamo passei a sonhar, e porque os sonhos ganham mais valor se partilhados, gostaria de partilhar dois deles com vocês:

 

> O primeiro: quero criar postos de trabalho em coautoria com os meus clientes.

 

Quero dar continuidade àquilo que tem vindo a acontecer, isto é, transformar a aposta, a confiança e em alguns casos, a coragem dos meus clientes em emprego. Quero formar com os meus clientes uma equipa coesa, em que os faça sentir corresponsáveis pela criação de postos de trabalho neste que é o nosso país, um país maravilhoso, um país belo e que, por vezes, só o “perdendo” é que lhe damos o devido valor. Até ao momento já criámos três, amanhã, por certo, vamos criar mais. - Quero criar postos de trabalho

 

> O segundo: quero dar uma volta ao mundo.

 

Este sonho, é um sonho que sempre tive, mas sabem uma coisa? Em 2030 quero levar a minha equipa no meu sonho… e vou conseguir. - Volta ao mundo em 2030 - Vamos a isso?

 

E tu, tens sonhos? Partilha-os aqui comigo.

"Se pensas negativo, a negatividade expande-se, chega-te aos órgãos e devora-te por dentro. Se pensas positivo, a tua vida torna-se mais leve, e tudo o que te rodeia tem mais sabor. Se ainda não saboreaste, saboreia."

22 de Junho de 2021
Autor:

Cláudio Silva

Consultor Imobiliário Porto CEC
Partilhar:
Publicações recentes
Newsletter
Subscreva a nossa newsletter!
Copyright Zome Portugal® 2019. Todos os direitos reservados.
Política de Privacidade Termos e condições Resolução Alternativa de Litígios