Temas Fechar

5 Dicas incríveis para quem quer comprar casa com o mercado em alta

20 de Novembro de 2019
Unsplash

Quer comprar casa mas o mercado imobiliário está em alta? Confira as 5 dicas que temos para si!

Se veio parar a este artigo, provavelmente, é porque anda à procura de casa. Acertei?

Nos últimos meses (anos!) temos ouvido e lido, repetidas vezes, acerca do aumento do preço das casas, na generalidade do território português. Esta subida é ainda mais pronunciada nos dois principais centros urbanos de Lisboa e Porto, que detêm atualmente - e de longe - a maior percentagem de transações imobiliárias no país.

 

Devido às suas características urbanas, tais como o acesso a empregos, serviços, estabelecimentos e centros comerciais, unidades de serviços públicos, maior oferta de habitação e transportes, etc., estas duas áreas metropolitanas tendem a concentrar a maior parte da procura de habitação.

 

Portanto, é natural que, tal como você aí desse lado, muitos outros milhares de pessoas procurem casas com características semelhantes às suas, nos mesmos locais, e aos mesmos preços.

 

Por isso, vou partilhar consigo 5 passos simples que irão ajudá-lo, a si e à sua família, a encontrar a casa dos vossos sonhos!

1. Conheça o seu orçamento (budget)

Frequentemente, oiço compradores que me dizem que irão tratar da questão do financiamento bancário depois de encontrarem a casa que querem. Saiba que este é o principal erro que pode cometer na procura de casa. Porquê?

 

Tal como quando vai às compras, confirma o plafon do seu cartão de crédito, ou o saldo da sua conta bancária, ao tomar a decisão de comprar casa nunca deve deixar de começar por perceber que impacto terá este novo crédito habitação na sua vida financeira.

 

Pode neste momento ter uma ideia equivocada sobre como se processam os financiamentos, pois os últimos anos têm sido pródigos em mudanças no setor bancário e, sobretudo, no mercado do crédito habitação.

 

Se cometer este erro, é até bem provável que “perca” a casa dos seus sonhos, pois quando decidir ir ao banco já será tarde: um outro comprador, com o “TPC do crédito” feito anteriormente, terá chegado primeiro.

 

Por isso, comece por aí: ligue ao seu gestor de conta e peça uma simulação. De seguida, procure simulações noutros bancos e não deixe de comparar todos os aspetos do crédito: spread, seguros, TAN, TAEG, montante total do crédito, encargos bancários, impostos, etc.

 

Quando estiver claro para si o que contar relativamente ao crédito, então estará nas melhores condições de partir para o mercado.

2. Conheça as suas necessidades

Decidiu mudar de casa. Porquê? Excetuando as situações (que acontecem) de emergência financeira ou de outro tipo, para a maioria das pessoas mudar de casa trata-se de responder a um conjunto de necessidades diárias: estar mais perto da escola dos miúdos, ter mais um quarto para o novo membro da família, mudança de emprego, desejo… ou então mudar para uma casa mais pequena, pois o agregado familiar diminuiu e as rotinas hoje são outras, etc.

 

A maior parte das vezes, esta é uma decisão ponderada e refletida, embora motivada por um impulso emocional interno que, naturalmente, nos leva sempre a querer mudar “para melhor”!

 

Então, de quantas divisões realmente necessita? Imagina-se a morar em que tipo de casa? Como gostaria de passar os seus fins de tarde ou dias de descanso? É uma pessoa prática ou dá importância aos detalhes (ou ambos)? Gosta de ficar por casa ou é mais de sair?

 

Ao refletir sobre estas questões, rapidamente vai começar a chegar às características da casa que procura: 2 ou 3 quartos, varanda ou terraço (ou nenhum!), cozinha grande ou pequena, uma ou duas casas de banho, aquecimento a gás ou elétrico… e por aí vai!

 

Ter esta consciência é meio caminho andado para tirar a sua mente do campo do “subjetivo”, ou do mero desejo, e começar a ver com clareza o tipo de casa que realmente responde às suas necessidades e da sua família. Afinal, é nesse espaço que irão residir nos próximos anos.

3. Conheça os seus locais

Unsplash

Agora que já sabe quanto quer e pode investir (sim, uma casa é sempre um investimento, quer queira quer não!) e quais as suas necessidades, está na altura de pensar onde gostaria de viver.

 

Muitas vezes, o “onde gostaria” e o “onde necessito” entram em conflito, gerando até por vezes desentendimentos no seio da própria família - que são, de resto, naturais num período de mudança de casa.

 

Saiba que, na maioria das vezes, o local escolhido responde a um misto dessas duas coisas: um local onde toda a família goste de morar e que, simultaneamente, cumpra o essencial das necessidades de deslocação e usufruto de todos.

 

Agora, gostava de lhe lançar um desafio: numa altura em que as zonas mais procuradas estão a verificar uma subida de preços, desafio-o a abrir o Google Maps e começar a listar as áreas que cumprem as necessidades das vossas deslocações diárias (seja para os empregos, escolas, etc.).

 

Observe as vias de acesso e transportes públicos, o acesso a comércio e serviços. O “Google Maps” é uma enorme e valiosa base de dados! De seguida, num dos seus dias de descanso, pegue no seu carro ou transporte público, e dê “um salto” a essas zonas para as conhecer. Vai surpreender-se com a quantidade de opções que vão surgir-lhe.

 

Ao aumentar o seu leque na escolha dos locais, vai não só ganhar liberdade de escolha, como até ter acesso a preços de casas bem mais simpáticos do aquelas que tinha visto nas zonas de primeira escolha!

 

Por outro lado, algumas das zonas “por descobrir” estão a ser alvo dos construtores imobiliários para a edificação de novos empreendimentos, devido aos preços mais acessíveis dos terrenos.

 

Quem sabe não será esta a sua oportunidade de comprar uma casa novinha em folha?

4. Conheça o seu timing

Este ponto é fundamental e muito fácil de entender: quando é que precisa de mudar? Não me refiro ao prazo limite, pois esse irá retirar-lhe “poder” de escolha e até negocial perante uma oportunidade, visto que estará a decidir sob pressão e as suas opções escasseiam nessa altura.

 

Perceba em quanto tempo gostaria de mudar e defina para si e para a sua família esse deadline.

 

Terem essa consciência levará a manter o foco no tempo necessário até encontrarem a casa que procuram e tem simultaneamente duas vantagens: gera menos propensão a desanimar e gerar desgaste durante o processo (sim, a busca de casa pode ser extenuante até desanimadora por vezes) e não vos obrigará a decidir já no limite dos limites, o que poderá levar a uma má decisão.

 

Sabia que conheço compradores que procuram casa há mais de 1 ou 2 anos?! Imagine o cansaço! Não caia nesse erro e estabeleça um prazo razoável com a sua família para que todos estejam motivados e mais alegres no processo.

5. Conheça um consultor imobiliário

Último ponto, mas não menos importante. Não me interprete mal: quem lhe está a escrever este artigo é um consultor imobiliário! Mas não é por isso que decidi incluir este último ponto.

 

Tal como quando temos um problema no carro recorremos ao mecânico, ou um problema elétrico em casa recorremos a um eletricista, numa decisão tão importante como comprar casa é um erro não recorrer à ajuda de um profissional experiente.

 

Muito rapidamente, apresento-lhe um conjunto de boas razões para o fazer: este profissional tem a experiência necessária para o ajudar a compreender melhor e mais rapidamente os 4 pontos que enunciei acima e será o seu “olho clínico” no mercado para encontrar a casa que procura.

 

  • Os profissionais imobiliários veem dezenas de imóveis e anúncios de imóveis todos os dias;
  • Analisam centenas de características de forma quase automática e intuitiva, tal é a frequência com que o fizeram ao longo dos últimos anos;
  • Ao aceder a um agente imobiliário experiente, e de confiança, vai ter acesso a uma ferramenta multiplicadora, uma espécie de “super poder imobiliário” ao seu serviço no mercado;
  • Com uma vantagem incrível: você e a sua família não vão ter de pagar nada. Como assim? Em Portugal (como em muitos outros países), a comissão pelo serviço de mediação imobiliária é paga exclusivamente pelo proprietário do imóvel. Então, o que tem a perder?
  • Para finalizar, um último conselho: entreviste vários profissionais, mas escolha um. Tal como faz com o mecânico, no exemplo que referi acima. Se escolher bem o seu profissional de confiança, vai ter um consultor imobiliário comprometido a encontrar-lhe a sua casa de sonho, dentro do seu orçamento e das suas necessidades, nos locais e no timing pretendido. Ao atribuir este “mandato” exclusivo ao seu agente imobiliário, vai motivá-lo a trabalhar para si com toda a dedicação.

 

O resultado, acredite, será surpreendente. As boas casas têm muitos pretendentes. Quando a casa ideal aparecer, vai querer ser o primeiro a ser informado, certo? Agora que já conhece os 5 passos para conseguir comprar casa com sucesso num mercado em alta, convido-o a pesquisar um pouco sobre nós: na Zome, dispomos de uma equipa de especialistas motivados e prontos para encontrar as respostas que procura.

Devido à nossa tecnologia avançada, conhecemos os preços das casas como ninguém, e estamos nas melhores condições de poder assessorá-lo a fazer um bom negócio.

 

Os quase 20 anos de experiência acumulados e os milhares de clientes que servimos, aliados à nossa constante busca de fazer sempre melhor, vão certamente proporcionar-lhe um processo de compra de casa com mais acompanhamento, mais simples… e mais feliz!

Quer comprar casa mas o mercado imobiliário está em alta? Confira as 5 dicas que temos para si!

20 de Novembro de 2019
Autor:

Miguel Meira

Consultor Imobiliário - Hub Porto CEC
Partilhar:
Publicações recentes
Newsletter
Subscreva a nossa newsletter!
Copyright Zome Portugal® 2019. Todos os direitos reservados.
Política de Privacidade Termos e condições Resolução Alternativa de Litígios